A propósito do teatro de marionetes, por Heinrich Von Kleist

“Cada movimento- disse-me ele – tinha o seu centro de gravidade; bastava controlá-lo a partir do interior do boneco; os membros, que não passavam de pêndulos, seguiam por si mesmos, sem nenhuma intervernção mecânica.”

>

[issuu width=420 height=284 embedBackground=%23000000 titleBarEnabled=true printButtonEnabled=false backgroundColor=%23222222 documentId=120403213137-a4795d37ca654f4cb0883c7375ff3d4e name=teatrodemarionetes_issuu username=n-1publications tag=kleist unit=px v=2]

Autor: Luiz Carlos Garrocho

Pesquisador e criador cênico, arte-educador e gestor cultural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *